2 de abr de 2008

Inutilidade 3

Há algum tempo atrás (três anos um mês e alguns dias ¬¬) conheci um garoto.. que de repente virou um homem e eu não percebi. É claro que ele virou um homem só por fora, mas para as outras pessoas verem isso, é tão difícil!
Me apaixonei. Eu era mais nova e ele era o "príncipe encantado".
Ele é cheio de defeitos, preconceitos, possessivo, mas eu achava isso tudo, realmente incrível!
O amor é realmente cego?
Ou existe apenas um idealização de algo que não é de fato?
Ele nunca leu um texto meu, eu acho. Nunca conseguiu entender o que se passa dentro de mim, embora eu tenha dito muitas vezes, de diferentes maneiras.

Será que conhecemos as pessoas tão bem quanto julgamos?
Nunca ninguém souber ver a minha tristeza, ninguém nunca soube me encontrar, nos lugares onde sempre estou..
E por isso me perdi!
Me encontrei naqueles braços, indiferentes à mim, alheios ao mundo.
O importante é que eu me sentia protegida e amada.

Até que ponto nos enganamos?
E aquela banda que você sempre admirou, mas depois descobriu que era puro "marketing" ?
Dá um certo desespero de viver.
Acho que toda pessoa com um certo dicernimento das coisas, já sentiu vontade de fugir. Só que ninguém sabe muito bem para onde. E por isso, continuamos com nossos medos, traumas e cicatrizes, que vão conosco até o caixão.

A psicologia é para quem não se conhece. Ou não?
Quem se conhece, afinal?
Eu sei que não gosto da cor laranja, e que chocolate enjoa, mas até aí, é fácil.
Somos muito imprevísiveis, e com vontades que não fazem sentido.
É errado se fazer sempre o que se quer?

Seria muita hipocrisia dizer que tenho a resposta. Mas civilizações vieram antes das nossas, e a calma sempre foi uma virtude.
É assim que eu tento viver hoje, então.
Preciso "conter os ânimos" e procurar muito bem, antes de confiar em alguém, que nem mesmo confiou em mim.

Paro por aqui! Deixei tudo confuso.
Como eu :~~

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial